Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul

Diferença de 70% não é mais a regra para escolher gasolina ou etanol

sexta, 21 de setembro de 2018 às 09h06
Fonte: AutoPapo

Evolução dos motores flex e realidade de cada motorista trazem resultados diferentes em relação aos números divulgados pelo Inmetro

Há mais de 15 anos no mercado, os carros equipados com motor flex – que aceitam gasolina ou etanol em qualquer proporção – ainda são cercados de mitos. Um deles é quando usar gasolina ou etanol levando em conta o preço dos dois combustíveis.


No começo, foi estabelecido que, se o valor do etanol fosse até 70% do preço da gasolina, abastecer com o combustível renovável seria vantajoso. Mas, pela evolução técnica dos motores e do próprio etanol, hoje, essa proporção está diferente e pode chegar a até 75%.


O presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos, sugere que cada motorista faça as contas e veja qual a proporção é a correta. Para ele, nem mesmo as medições do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, feitas pelo Inmetro, refletem a realidade.


“Os testes feitos pelo Inmetro tem como base a gasolina com uma mistura de 22% de álcool anidro. Hoje, a gasolina vendida nos postos tem 27%. O número que está ali pra gasolina não reflete a verdadeira quilometragem que aquele carro poderá rodar com gasolina. Se o teste fosse feito com a gasolina com 27% de anidro, o consumo com esse combustível seria maior”, afirma Campos.

Gasolina ou etanol

Para exemplificar essa diferença, a entidade que representa os produtores de etanol de São Paulo – Unica – contratou o Instituto Mauá de Tecnologia para realizar testes, em campo, com automóveis usando etanol hidratado e gasolina vendida nos postos, com 27% de álcool anidro, para mostrar que os números de consumo divulgados pelo Inmetro não refletem a realidade em relação a esses dois combustíveis.


Foram utilizados 20 veículos: cinco unidades de quatro modelos diferentes (compactos 1.0 e 1.6, sedã médio e utilitário esportivo). Eles percorreram 27 km em trechos urbanos e 30 km em rodovias. Cada um desses circuitos foi repetido 15 vezes. Os trajetos foram definidos seguindo o padrão de testes e análises já realizados pelo Instituto Mauá em vias públicas.


Avaliado por meio de análise estatística, o desempenho médio do etanol comum em relação à gasolina comum, que contém 27% de etanol anidro, para os modelos de veículos testados variou de 70,7% a 75,4%. Como referência, os valores encontrados para os mesmos modelos de veículos pela norma do Inmetro foram, respectivamente, 66,7% a 72,1%.


Acesse www.façasuaconta.com.br e conheça mais do teste da Siamig com o Instituo Mauá
Esse percentual também varia, principalmente, com o perfil de direção do motorista e a tecnologia embarcada no veículo.


Regra de 70% não vale mais para escolha da gasolina ou etanol

Como calcular o consumo?

Em carros equipados com computador de bordo: eles apontam quanto quilômetros por litro (km/l) o seu automóvel está fazendo. Dessa forma é possível avaliar melhor quando usar álcool ou gasolina.

Em modelos importados não é tão simples. Eles apontam o consumo em litros consumidos a cada 100 km rodados (l/100 km). Neste caso, é necessário fazer uma conta rápida para calcular o consumo: dividir a distância pela quantidade de combustível gasto. Por exemplo: um automóvel que faz 12 l/100 km tem uma média de 8,3 km/l (100/12 = 8,3)


Mas e nos carros que não tem computador de bordo? Neste caso, vai dar um pouco mais de trabalho. Complete o tanque (até o desarme da bomba) e zere o hodômetro parcial (ou anote o número exato do hodômetro total). Após rodar a distância que for conveniente, complete o tanque mais uma vez (novamente, até o desarme) e divida a quantidade de litros abastecido pela quilometragem. O ideal, para calcular o consumo com maior precisão, é que a operação seja feita por três vezes.


O cálculo do rendimento do carro é importante, pois o motorista poderá verificar também qual combustível é mais econômico em função do preço na bomba. Existe a convenção de que o etanol é mais econômico se custar até 70% do preço da gasolina ou 30% mais barato (baseado no teste do Inmetro). Mas se levarmos em conta os atuais testes do Instituo Mauá o motorista poderá verificar que seu carro rende muito mais e então economizará usando etanol mesmo se o percentual estiver acima de 70%, podendo chegar até 75%!


Veja o exemplo abaixo

Divida o desempenho do etanol pelo desempenho da gasolina ( se seu carro faz 7,3 km/litro com etanol e 10 km/l com gasolina, você deve dividir 7,3 por 10 = a 0,73 ou 73%. Pronto você achou o rendimento do carro com etanol!


Faça agora o cálculo da relação de preço etanol/gasolina na bomba: divida o preço do etanol pelo preço da gasolina (ex: atualmente o litro do etanol está em R$ 2,74 e da gasolina R$ 4,64 = relação, então, de 0,59 ou 59%).


A relação atual de preço na bomba (59%) dá uma enorme economia ao consumidor se abastecer com etanol e quando este cálculo estiver em 73%, pelo rendimento do carro neste exemplo, também estará economizando se usar etanol.


Imagem: Marcelo Camargo | Agência Brasil