Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul

Etanol: Análise mensal Cepea

quarta, 16 de novembro de 2016 às 10h14
Em outubro, o preço do etanol anidro subiu pelo quarto mês consecutivo e o do hidratado, pelo terceiro – ambos no mercado paulista. O principal fator de impulso continuou sendo a baixa oferta, reforçada nesse mês pelo encerramento antecipado das atividades de moagem da safra 2016/17 em parte do Centro-Sul e pela ocorrência de chuvas na região.

Na comparação das quatro semanas cheias de outubro com as de setembro, os Indicadores semanais CEPEA/ESALQ (base estado de SP) dos etanóis anidro e hidratado acumularam alta de 12,2% cada um.

O Indicador diário do hidratado ESALQ/BM&FBovespa posto Paulínia fechou a R$ 1.829,50/m³ no dia 31 de outubro, forte aumento de 9,6% frente ao último dia útil de setembro.

Na BM&FBovespa, os ajustes indicaram valores mais atrativos ao vendedor ao longo de outubro. No dia 31, o ajuste do contrato Janeiro/17 foi de R$ 1.950,00/m3, Fevereiro/17, de R$ 1.970,00/m3 e Março/17, de R$ 1.945,00/m3. Esses valores estiveram 20,5%, 21,2% e 21,6%, respectivamente, acima dos verificados em 30 de outubro de 2015. A média do contrato Outubro/16 foi de R$ 1.808,50/m3, valor 13,7% maior que a de setembro e 23,2% acima da do mesmo período de 2015.

Segundo dados da Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar), na primeira quinzena de outubro, foram processadas 32 milhões de toneladas de cana, 24,3% a menos que na segunda metade de setembro e 11,9% a menos que no mesmo período da safra passada. A produção de etanol foi de 1,4 bilhão de litros, queda de 17% no comparativo anual, sendo 740 milhões de litros de hidratado (-27,9%) e 665 milhões de litros de anidro (-0,3%). Na primeira quinzena de outubro, 13 usinas da região Centro-Sul encerraram a safra 2016/17, somando 31 unidades com a safra concluída.

As unidades produtoras da região Centro-Sul comercializaram no mercado interno 983,42 milhões de litros (anidro e hidratado) nos primeiros 15 dias de outubro e 31,37 milhões de litros foram direcionados para o mercado externo. Do total vendido domesticamente, as vendas de anidro somaram 391,52 milhões de litros e as de hidratado 591,9 milhões de litros, quedas de 8% e 15,94% respectivamente em relação à última quinzena de setembro.

No front externo, as exportações de etanol anidro e hidratado se limitaram a 66 milhões de litros em outubro, volume 54,7% menor que o de setembro e 74,5% inferior ao do mesmo período do ano passado, segundo dados da Secex. A receita, em outubro, recuou 46,4% em relação ao mês anterior e 64,5% frente a out/15, totalizando US$ 39,6 milhões. Em Reais, os embarques renderam R$ 126 milhões, baixa de 47,6% frente a setembro e de 70,9% na comparação com out/15.

NORDESTE – No Nordeste, os valores dos etanóis subiram em outubro. Em Pernambuco, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado subiu 3,6% em relação a setembro, indo para R$ 1,7810/l (sem frete, sem ICMS) em outubro/16. Quanto ao anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ teve alta de 4,7% no mês, para R$ 2,0094/l (sem frete).

Na Paraíba, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ do hidratado se elevou 1,1%, a R$ 1,7263/l (sem frete, sem ICMS). O Indicador mensal CEPEA/ESALQ do anidro teve média de R$ 2,0056/l (sem frete) em outubro/16, aumento de 5,7%.

O Indicador CEPEA/ESALQ mensal do hidratado em Alagoas foi de R$ 1,8110/l (sem frete, sem ICMS) em outubro, valorização de 3% frente à média de setembro. Para o anidro, o Indicador foi de R$ 1,9780/l (sem frete), aumento de 4,4%.

Equipe: Dra. Mirian R. Piedade Bacchi, Msc. Ivelise Rasera Bragato, Carla Luciane dos Santos, Talita Negri, Gabriela Maria Rodrigues do Nascimento e Giovanna Grandim Ferraz de Souza.

Fonte: Cepea/Esalq