Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul Biosul - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul

Senado discute a importância do setor sucroalcooleiro para o desenvolvimento de uma matriz energética sustentável

quinta, 02 de julho de 2015 às 15h28
A importância do setor sucroenergético na redução de emissão de gases de efeito estufa e outros gases poluentes, e sua importância para a definição de uma matriz energética mais sustentável foram temas de audiência pública realizada nesta quarta-feira (01) no Senado, pela Comissão Mista Permanente Sobre Mudanças Climáticas (CMMC).

Composta por senadores e deputados federais, a comissão tem como uma de suas principais missões acompanhar as ações do governo no combate aos impactos ambientais e socioeconômicos das alterações climáticas globais.
A discussão de hoje contou com a participação de André Meloni Nassar, secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Paulo Hilário Saldiva, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e Rodrigo Lima, diretor-geral da Agroícone, consultoria especializada em agricultura, energia e sustentabilidade.

Rodrigo Lima apresentou estudo sobre os impactos que o etanol e a bioeletricidade podem ter sobre a redução dos gases de efeito estufa até o ano de 2030 utilizando dois cenários: um realista e outro mais otimista, que prevê expansão da produção e novas usinas, o que demandaria ações de políticas públicas de longo prazo para o estímulo a novos investimentos no setor. Segundo Lima, o cenário expansionista permitiria uma redução adicional de quase 600 milhões de toneladas de CO2, montante equivalente a emissões geradas durante três anos por todo o setor de transportes do país.

O professor Saldiva, por sua vez, apresentou um estudo sobre os impactos positivos do etanol sobre a saúde pública nas grandes cidades. Saldiva afirmou que a utilização do biocombustível tem evitado quase 1,5 mil mortes e quase 10 mil internações hospitalares por ano nas grandes cidades brasileiras.

Por fim, o Secretário André Nassar ressaltou as preocupações do MAPA com o tema, lembrando que os combustíveis renováveis deverão exercer um papel central nas discussões que serão promovidas na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas que será realizada em dezembro em Paris.

Eduardo Leão de Sousa, diretor-executivo da UNICA, acompanhou a audiência pública. “Entendemos que debates desta natureza são fundamentais para a melhor compreensão dos benefícios do etanol e parabenizamos o Poder Legislativo pela iniciativa e proatividade. É evidente a necessidade de avançarmos em uma agenda positiva visando à maior participação das fontes renováveis na matriz energética, posição que vai ao encontro dos compromissos ambientais assumido pela Presidente Dilma Rousseff na recente missão presidencial aos EUA, e estamos prontos para participar deste diálogo e contribuir com este esforço”, ressaltou o executivo.

A comissão foi presidida pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), tendo como vice-presidente o deputado Zequinha Sarney (PV-MA) e o deputado, e também presidente da Frente Parlamentar pela Valorização do Setor Sucroenergético, Sergio Souza (PMDB-PR) como relator.

Fonte: Única